Intolerância Alimentar para 200 Alimentos

Descubra quais alimentos o seu organismo não tolera.

O estudo de intolerância alimentar é um exame laboratorial que avalia os níveis de Imunoglobulina (IgG) específica frente a 200 alimentos diferentes. No caso de alergia aos alimentos (IgE-Positivo) não existe nenhuma correlação da dosagem IgG dos mesmos.

As alergias alimentares são reações clássicas mediadas por Imunoglobulinas E, no entanto, as chamadas intolerâncias alimentares, mediadas por IgG são menos conhecidas, apresentam uma manifestação mais tardia e menos evidente que as alergias mediadas por IgE, não sendo diagnosticadas, ou sendo confundidas com outras patologias. Em muitas ocasiões as pessoas convivem com elas e com todas suas consequências patológicas. Entre 20 a 35% da população sofrem de diferentes manifestações clínicas, associadas com a sensibilidade a distintos alimentos.

Estes estão sinalizados em diferentes cores de acordo com a amostra obtida:

  • Marcados em cor verde, cuja reação frente ao alimento foi nula. ALIMENTOS INDICADOS
  • Marcados em cor amarela, cuja reação frente ao alimento foi baixa. INTOLERÂNCIA LEVE
  • Marcados em cor laranja, cuja reação frente ao alimento foi média. INTOLERÂNCIA MODERADA
  • Marcados em cor vermelha, cuja reação frente ao alimento foi alta. INTOLERÂNCIA SEVERA
Comentário

O grupo de alimentos de intolerância moderada ou severa indica nível de anticorpos detectados, e serve de referência para que em futuros controles comprove-se a retirada dos alimentos irá melhorar os níveis de reatividade.

Para evitar desequilíbrios nutricionais e/ou riscos de má nutrição, está prova deve ser solicitada e supervisionada por um especialista que elabore uma dieta equilibrada, assim como um segmento.

Foi demonstrado cientificamente que existe uma melhora notável em uma alta frequência da população, quando há a retirada de alimentos, que ocasionam níveis de IgG específica acima da normalidade. A melhora é apresentada nas seguintes sintomatologias:

  • Digestivas: acidez, úlceras e aftas na boca, gastrite, colite, prisão de ventre, diarreia e náuseas.
  • Respiratórias: tosse, bronquite e asma.
  • Articulares: dor e rigidez.
  • Outras: enxaquecas, fadiga, depressão e retenção de líquidos.

O teste de intolerância alimentar que avalia anticorpos IgG é uma ferramenta de diagnóstico muito útil para todas as alergias alimentares dos tipos II, III e IV. Na alergia de tipo III podem ser formados imunocomplexos antígeno-anticorpo (Ag-Ac) circulantes, que aumentam a pressão oncótica do sangue, provocando retenção de água e, portanto, um aumento de peso.

Caso um paciente apresente essa patologia, a retirada dos alimentos aos quais ele apresenta sensibilidade resultará na diminuição dos imunocomplexos, assim como a diminuição da pressão oncótica, tendo como consequência a eliminação da água, gerando a perda de peso de forma quase imediata. Além disso, diminuirão os transtornos colaterais como patologias associadas à inflamação, dor ou rigidez nas articulações.

Como fazer o exame?

Escolha e agende seu exame

Após escolher o exame desejado, converse com o seu médico para que ele possa lhe orientar e prescrever o exame se for recomendado. Feito isso, entre em contato com o Laboratório Fleming e agende seu exame.

É simples e rápido

O exame genético é feito a partir de uma amostra de sangue ou saliva. Clique aqui e saiba o tipo de material coletado nesse exame. A coleta é realizada no Laboratório Fleming, localizado na Rua Anchieta, 324, Centro – Jundiaí/SP.

Receba suas informações e converse com seu médico

Assim que o relatório estiver pronto, o resultado estará disponível em nosso site. Você receberá um e-mail com os dados de acesso. Clique aqui para ver o prazo de entrega do resultado.

Jejum não obrigatório.

Não estar fazendo o uso de antialérgicos ou medicamento com corticoides 15 dias que antecedem o exame.

O exame é realizado a partir da coleta de sangue.

A coleta é realizada no Laboratório Fleming, de segunda a sexta – feira das 6h30 às 17hs, ou de acordo com a disponibilidade de atendimento.

Pedido médico.

Documento.

R$1.500,00

  • Intolerância Alimentar

Imunoglobulinas G (IgG)

– VERDURAS E HORTALIÇAS
1. Abóbora
2. Abobrinha
3. Acelga
4. Aipo
5. Alcachofra
6. Alface
7. Alho-poró
8. Aspargos
9. Batata
10. Batata-doce
11. Berinjela
12. Beterraba
13. Brócolis
14. Canônigo
15. Cebola
16. Cenoura
17. Champignon
18. Cogumelo
19. Couve
20. Couve-de-bruxelas
21. Couve-flor Chalota
22. Escarola Espinafre
23. Nabo
24. Pepino
25. Pimentão
26. Rabanete
27. Repolho
28. Repolho roxo
29. Rúcula
30. Tomate
31. Feijão verde
– LEGUMES
32. Ervilhas
33. Favas
34. Feijão branco
35. Feijão vermelho
36. Grão-de-bico
37. Lentilha
38. Soja (Grão de soja)
– PRODUTOS LÁCTEOS E OVO
39. Beta-lactoglobulina
40. Caseína
41. Clara de ovo
42. Gema de ovo
43. Leite de búfala/Queijo
44. Leite de cabra / Queijo
45. Leite de ovelha / Queijo
46. Leite de vaca / Queijo
– PEIXES E MARISCOS
47. Amêijoa
48. Anchova
49. Arenque
50. Atum
51. Bacalhau
52. Besugo
53. Gamba / Camarão
54. Escargot
55. Caranguejo
56. Carpa
57. Cavala
58. Caviar
59. Dourado
60. Enguia
61. Lagosta
62. Linguado
63. Peixe navalha
64. Lúcio
65. Lula
66. Merluza
67. Mero
68. Mexilhão
69. Ostra
70. Peixe espada
71. Peixe-solha
72. Percepes
73. Polvo
74. Robalo
75. Rodovalho
76. Salmão
77. Sardinha
78. Sépia
79. Tamboril
80. Truta
81. Vieira
82. Vongole
– CARNES
83. Carne de avestruz
84. Carne de cabrito
85. Carne de cavalo
86. Carne de veado
87. Carne de codorna
88. Carne de coelho
89. Carne de cordeiro
90. Carne de frango
91. Carne de pato
92. Carne de perdiz
93. Carne de peru
94. Carne de porco
95. Carne de vitela
– FRUTAS
96. Abacate
97. Abacaxi
98. Alfarroba
99. Ameixa
100. Amora
101. Amora-preta
102. Arando vermelho Azeitona
103. Azeite de oliva Banana
104. Cereja
105. Coco
106. Damasco
107. Figo
108. Framboesa
109. Groselha-preta
110. Groselha-vermelha
111. Kiwi
112. Laranja
113. Lichia
114. Lima
115. Limão
116. Maçã
117. Manga
118. Melancia
119. Melão
120. Mirtilo
121. Morango
122. Nectarina
123. Papaia
124. Pêra
125. Pêssego
126. Romã
127. Tâmara
128. Tangerina
129. Toranja
130. Uva branca / Uva preta
– FRUTAS SECAS
131. Amêndoa Amendoim
132. Avelã
133. Castanha Portuguesa
134. Castanha de caju
135. Castanha do Pará
136. Macadâmia
137. Noz
138. Pinhão
139. Pistache
140. Uva passa
– OUTROS
141. Ágar ágar
142. Alga espaguete do mar Alga Spirulina
143. Aloe Vera
144. Café
145. Canela
146. Cola / Noz de cola
147. Levedura de cerveja
148. Levedura de pão
149. Lúpulo
150. Mel
151. Ruibarbo
– ERVAS E ESPECIARIAS
152. Aaçafrão
153. Alcaçus
154. Alcaparra
155. Alevrim
156. Alho
157. Anis
158. Azeite de cardo
159. Baunilha
160. Camomila
161. Óleo de canola
162. Chá preto
163. Chá verde
164. Coentro
165. Cominho
166. Cravo-da-índia
167. Curry
168. Endro (Aneto)
169. Erva-doce
170. Estragão
171. Folha de uva
172. Gengibre
173. Goji berries
174. Hortelã/Menta
175. Louro
176. Manjerona
177. Manjericão
178. Mostarda
179. Noz moscada Orégano
180. Pimenta branca / preta
181. Pimenta vermelha
182. Páprica
183. Salsinha
184. Salvia
185. Semente de cânhamo
186. Semente de chia
187. Semente de papoula
188. Tomilho
– CEREAIS E GRÃOS
189. Cevada (Hordeum vulgare)
190. Arroz
191. Aveia (Avena sativa)
192. Cacau
193. Cana-de-açúcar
194. Cuscuz
195. Centeio (Secale cereale)
196. Trigo espelta (Triticum spelta)
197. Glúten
198. Semente de linho (Linum usitatissimum)
199. Milho (Zea mays)
200. Malte
201. Millet (Panicum niliaceum)
202. Quinoa (Chenopodium quinoa)
203. Farelo de trigo
204. Girassol / Óleo de girassol
205. Semente de sésamo (Sesamum indicum)
206. Sêmola de trigo duro (Triticum durum)
207. Mandioca/tapioca (Manihot esculenta)
208. Trigo (Triticum aestivum)
209. Trigo sarraceno (Fagopyrum esculentum)
210. Amaranto (Amarantus)

Alergia e Intolerância Alimentar: conheça as características de cada uma delas

Alguns tipos de alimentos que ingerimos causam reações repetidas e anormais em nosso organismo, chamadas de reações adversas ao alimento. Essas reações adversas são divididas em: Alergia Alimentar e Intolerância Alimentar.

A Alergia Alimentar é causada por uma reação em nosso sistema imunológico, a um componente do alimento provocando, em geral, sintomas relevantes, que necessitam de investigação. Usualmente, nosso sistema imune produz anticorpos para combater esses componentes dos alimentos, o que resulta em liberação de histamina e outras substâncias no nosso organismo. Os testes de pele ou as pesquisas no sangue podem confirmar o tipo de alergia, quando correlacionado com os sintomas.

Essas manifestações são mais comuns em pessoas que têm membros da família com alergias, sugerindo que tenha um fator genético ou hereditário envolvido. Pode ser desencadeada por

uma quantidade mínima do alimento, toda vez que ele é consumido.

Os sintomas da alergia, em geral se desenvolvem rapidamente e podem variar desde acometimento em pele, sintomas gastrointestinais e sintomas respiratórios, até a uma reação mais severa que é a anafilaxia, levando à dificuldade respiratória, tonturas e perda de consciência que, se não forem tratadas imediatamente, pode ser fatal.

Os componentes alimentares que mais causam alergias incluem leite de vaca, ovos, soja, trigo, crustáceos, frutas, amendoim e castanhas.

Já a Intolerância Alimentar é o termo utilizado para designar reações não imunológicas. Pode ser decorrente de doenças metabólicas, intoxicações, deficiências enzimáticas ou outros transtornos. É a reação adversa ao alimento mais comum, porém, seus sintomas não são tão óbvios como a alergia e pode demorar a ser diagnosticada.Felizmente, não ameaça a vida, mas pode causar muito desconforto. As reações ao alimento são tardias e ocorrem várias horas ou dias após sua ingestão, em geral, com gases, diarreia, constipação, eczema ou dor articular. As intolerâncias mais comuns são à lactose e ao glúten.

Entre em contato para agendar seu exame!
Outros exames que você pode se interessar